Ziraldo: As Melhores Piadas do Mineirinho

Image by Ziraldo.  All rights reserved. Todos os Direitos Reservados.

Um mineiro encontrou o outro na rodoviária e perguntou:
- Onde é que ocê vai, cumpadre?
- Eu vou pra Manhuaçu - respondeu o outro.
- Boa viagem - disse o primeiro mineiro, e foi saindo. E foi saindo e dizendo pra si mesmo:
- O cumpadre pensa que me engana. Ele tá dizendo que vai pra Manhuaçu pra eu pensar que ela via pra Manhumirim. Mas ele vai é pra Manhuaçu mesmo.


Mineirinho entra numa loja de ferragens e pede uma tomada.
E o vendedor pergunta:
- O senhor quer tomada macho ou tomada fêmea?
E o Mineiro:
- Ô, moço, acho que tanto faz. Nós qué uma tomada é pra acender a luz e não pra fazer criação.


Mineirinho chegou aqui no Rio e tinha que ir ao médico. Aí, quando disseram o preço da consulta, ele quase caiu da cadeira.
- Como é que eu vou fazer?
E o outro, que já morava no Rio há mais tempo falou para ele que conhecia um médico que cobrava a metade dos outros. E com uma vantagem: na segunda vez que o cliente voltava lá, ele aí cobrava a metade da metade.
Mineirinho não teve dúvida. Foi a este médico. E foi chegando e foi dizendo:
Bom dia, doutor. Sou eu, de novo!


Era uma vez uma enfermeira muito boa, mas muito boa mesmo. Aí o médico falou pra ela:
- Tá proibida de atender aquele Mineirinho do quarto dezessete.
- Por quê, doutor?
- Porque toda vez que você entra lá, arrebenta os pontos do rapaz.
- Ah, doutor, perdão - disse a enfermeira. Eu não sabia que ele tinha sido operado de fimose.


Lá ia o capiau na mesa do restaurante do trem, comendo sua comidinha bem devagar, quando sentaram-se à mesa uma senhora com os seus dois filhos. Pediram a comida e enquanto aguardavam, o capiauzinho calmo acabou de comer. Acabou, pegou um palito, esticou as pernas e soltou aquele arroto enorme. A mulher ficou escandalizada e perguntou pro capiau:
- O senhor tem o hábito de fazer isso na frente dos seus filhos?
E disse o capiau:
- Oia, dona... lá em casa a gente num tem regra fixa, não. Às vez, arrota eles, às vez, arrota eu!


Esta é um clássico. E clássico todo mundo tem obrigação de conhecer. E paciência para ouvir de novo. Vamos lá:
Um ventríloquo foi passear na roça. E corta logo para ele passeando na carroça de um matuto, numa tarde gostosa, cheia de silêncio. De repente, como o silêncio era tanto que tava até dando paz demais, o ventríloquo resolveu tirar um sarro com o capiau:
- Escuta, companheiro, você sabia que o seu cavalo fala?
O matuto não acreditou. Mas foi só o tempo de não acreditar e levar o maior susto; o cavalo danou a conversar com ele, e o matuto ficou maravilhado.
Aí passou um boi, e o boi falou. E passou uma vaca, e a vaca falou. E logo em seguida, o que é que vinha vindo lá? Uma cabrinha muito sestrosa, balançando as ancas, que parou bem ao lado da carroça. Parou e ficou olhando.
E já ia "dizer" alguma coisa, quando o matuto se virou e disse:
- Não acredita nela não. Ela é mentirosa!!


Clique no foguete maluquinho para mudar a página!


Image by Ziraldo.  All rights reserved. Todos os direitos reservados. Image by Ziraldo.  All rights reserved.  Todos os direitos reservados. Image by Ziraldo.  All rights reserved.  Todos os direitos reservados. Image by Zirado.  All rights reserved.  Todos os direitos reservados Foto do Ziraldo.

Livros & Obras

Sala de Leitura

  Menino Maluquinho

Papo Furado

Biografia


http://www.ziraldo.com/leitura/piadas3.htm
Copyrights © 97-04 Ziraldo Alves Pinto
Web concept &  design www.ipanema.com
All rights reserved. Todos direitos reservados